Mesa de Negociação trata das demandas do SAMU

Membros da Mesa Permanente de Negociação participaram de uma reunião com representantes da administração municipal, para discutir demandas específicas dos servidores que trabalham no SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), na sexta-feira (19). Os dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Piracicaba, José Alexandre Pereira, William DeLima e Alex Guerreiro participaram da reunião, que foi acompanhada também pelo diretor Osmir Bertazzoni via online e pelos servidores do SAMU, Geraldo e Adriano. Teve a participação também, do Secretário de Administração Evandro Evangelista, equipe do Departamento de Recursos Humanos, do Secretário de Saúde e Esporte, Pedro Mello, com a equipe de chefia da secretaria e com a responsável do SAMU. Dentre os assuntos discutidos estavam:  insalubridade, refeição noturna dos servidores, regularização do cargo condutor de veículo de emergência/socorrista, abono, segurança do prédio do Samu e assepsia das viaturas pós atendimento e higienização 24 horas na base. O Secretário Evandro Evangelista, discorreu sobre a questão da avaliação de insalubridade, como é feito o procedimento de concessão, bem como a avaliação que é feita pelo SESMT. Ele afirmou, que a insalubridade só será aplicada, se for devida, com base em parecer técnico, destacando que o departamento de Recursos Humanos trabalha para a regularização desses pagamentos, ou seja, retirar de quem não é devido e conceder aos que realmente tem que receber a insalubridade. Quanto a questão dos marmitex dos servidores do período noturno, o secretário Pedro Mello, entendeu que é oportuno e devido sim, estará trabalhando para que os servidores noturnos tenham acesso a essa alimentação em seu turno de trabalho.  Sobre a regularização do cargo condutor de veículo de emergência/socorrista e abono, haverá um estudo, com base nos pareceres jurídicos, do Ministério Público e legislações municipais, já que na avaliação atual da administração, existe uma Lei que proibi contratações e aumento de despesas com pessoal. A segurança do prédio do SAMU, que muito preocupa os servidores, os representantes da administração responderam que a questão precisa ser conversada entre administração e o comando da guarda civil. Segundo eles, de acordo com a legislação, este trabalho da GC é de responsabilidade da ronda ostensiva de atendimento policial a população. No entanto, foi colocado algumas alternativas, tais como: fechamento dos portões na entrada e saída das viaturas, colocação de semáforo de acionamento dentro da base do SAMU que será conversado com o secretário da SEMUTRAN e também viabilizar acionamento dos portões automáticos dentro das próprias viaturas, com luz alta e outros meios facilitador ao condutor do veículo. Outra reivindicação, é a necessidade de ter uma equipe de limpeza (assepsia) das viaturas pós atendimento e higienização 24 horas na base. De acordo com o secretário de saúde, Pedro Mello, será estudado a viabilização deste procedimento, reconhecendo a importância do trabalho de limpeza e desinfecção principalmente nesse momento de pandemia. Segundo Mello, toda a equipe está trabalhando e se empenhando para fornecedor os EPIS (Equipamentos de Proteção Individual) de qualidade e adequados para os servidores do SAMU, atendendo ao pedido dos servidores, que a manutenção seja constante nos equipamentos e alojamentos, com locais adequados para que os servidores possam trabalhar. Para o diretor e advogado, Osmir Bertazzoni, a reunião foi boa e mostrou aos servidores presentes como funciona a Mesa Permanente de Negociação, a importância do diálogo e que muitas vezes tem que intensificar as negociações, com atuação constante nos órgãos da administração. Bertazzoni, parabenizou todos os envolvidos nesta causa que é de suma importância para a categoria. Para o vice presidente do Sindicato, José Alexandre Pereira, essa reunião foi produtiva, com a oportunidade de levar as demandas da categoria. “Conseguimos unificar nossos esforços para que os servidores tenham voz e participação nesse processo. O Sindicato lidera essa aproximação e negociação, com a oportunidade de levar os servidores para participarem juntos dessas reuniões, e de mostrar toda a transparência no processo de negociação da categoria”, afirmou o diretor. Ainda sobre as demandas, o Sindicato irá agendar uma audiência com a participação da administração municipal de Piracicaba,  com os procuradores de justiça e MPFT em Campinas,  com laudo médico especializado para rever as normas e as formas do turno de revezamento 12 x 36, que é uma reivindicação dos servidores do SAMU.

WhatsApp

VOLTAR

NOTÍCIAS Relacionadas