Sindicato é contra o PLC da contribuição previdenciária dos servidores

Em face da campanha salarial dos servidores municipais de Piracicaba, que ainda não foi concluída em virtude do novo coronavírus, o Sindicato dos Municipais de Piracicaba e Região, que aguarda o posicionamento do Executivo quanto a reposição inflacionária do período na ordem de 3,66%, está tomando providências, com relação ao projeto de Lei Complementar nº 4/2020, que  foi enviado  pelo Executivo da Câmara de Vereadores de Piracicaba que  dispõe sobre a alteração da alíquota da contribuição previdenciária dos servidores públicos municipais para o Instituto de Previdência, situação esta, que poderá se agravar se for aprovada em virtude de acrescer 3%, nos descontos previdenciários de cada servidor. Através da Mesa Permanente de Negociação, a diretoria enviou um ofício ao prefeito Barjas Negri, no dia 23 de abril, solicitando uma mensagem modificativa quanto período de “Vacatio Legis” para que não seja inferior a 1 (um) ano a entrada em vigor da nova alíquota previdenciária recolhida pelos servidores ao IPASP. Já que no Projeto de Lei Complementar consta que este percentual entraria em vigor após 90 dias. “Passando a vigorar a partir do ano que vem, a Administração estaria atendendo a legislação, e contribuindo com o servidor para que ele não tenha uma perda maior. Nossa preocupação é que estamos no meio de uma campanha salarial, não conseguimos a reposição inflacionaria que é de 3,66%. Considerando a inflação maior que é do IPCA, que fechou em 4%, já estaríamos com este déficit no salário dos servidores, mais esta questão da alíquota que contabiliza mais de 3%”, disse o vice-presidente, José Alexandre Pereira.  Destacou também que o Projeto de Lei Complementar descreve apenas o percentual do trabalhador que é de 11% para 14%, e não menciona as mudanças dos 22% de responsabilidade patronal do município. Para o diretor do Sindicato, José Osmir Bertazzoni, diante do Projeto de Lei tramitar na Câmara sem discutir com a entidade e os servidores, poderá acarretar em grandes perdas e complicações para a categoria. “Caso seja aprovado, vamos ter que abandonar a quarentena e ir para a luta. Não dá para sobreviver diante de uma situação de ataque ao bolso dos servidores. Não somos contra a necessidade de uma reforma, que sustente a estrutura da aposentadoria do Instituto de Previdência de Piracicaba, muito pelo contrário, isso deve acontecer, mas numa ampla discussão com o Sindicato, com a Câmara, com os servidores públicos e apresentação atuarial”, afirmou. Em ofício, o Sindicato reafirmou que neste momento da pandemia, as reuniões dos assuntos pertinentes ao funcionalismo, realizados pela Mesa Permanente de Negociação deverão seguir os protocolos firmados entre as partes, e após sua conclusão por parte de seus representantes, para assim dar os encaminhamentos necessários. Toda esta matéria foi exibida durante a Live do Sindicato pela página de seu Facebook, no programa Gerenciamento de Crise, Nota 36, no dia 24 de abril, comentada pelo vice presidente da entidade, José Alexandre Pereira. Assista o programa pelo canal no Youtube: Sindicato dos Municipais de Piracicaba e Região.

WhatsApp

VOLTAR

NOTÍCIAS Relacionadas

Latest Video News

Playlist title

Playlist subtitle #hashtag

More News

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing

The Alchemists team is appearing in L.A. Beach for charity

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisi nel elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad mini veniam, quis nostrud en derum sum laborem.

Latest articles